A acne é uma condição que afeta 85 em cada 100 adolescentes e hoje me pergunto se podemos chamar de doença ou se é uma condição fisiológica que pode ser mais intensa em alguns casos. A dermatologia classifica a intensidade da acne em 4 niveis, e felizmente a maioria dos casos se enquadram nos dois primeiros, onde predominam os cravos e as espinhas. O terceiro estágio inclui nódulos vermelhos inflamatórios que são muito intensos no quarto grau de acne. Estes casos mais graves acometem principalmente os rapazes e necessitam de medidas enérgicas com tratamentos bem específicos do dermatologista. Foi pensando nestes casos mais intensos e depois, nas cicatrizes deixadas pelas lesões inflamatórias (espinhas ou nódulos) que foram desenvolvidas novas drogas e se estabeleceu um algoritmo de tratamento que vai desde o uso de medicações locais até o uso de medicamentos sistêmicos, que podem até reduzir o tamanho das glândulas sebáceas, e a inflamação.

Paralelamente ao desenvolvimento da indústria farmacêutica na área, em países onde a restrição ao uso de alguns medicamentos (como no Japão), fomentou o desenvolvimento da aplicação das luzes no tratamento da acne. Este tratamento com led e/ou laser é chamado atualmente de fotobiomodulação e baseia no efeito terapêutico destas ondas luminosas na pele e glândulas sebáceas. De acordo com o tipo de luz e da associação destas, pode-se controlar a bactéria considerada vilã da acne, chamada de P. acnes com o emprego de led azul (410 ou 420nm), terapia fotodinâmica (quando há associação de medicamento local com o emprego da luz adequadada correspondente) e a fotobiomodulação com laser – neste ultimo caso o laser empregado é o chamado Nd-YAG ( acrônimo para neodímio, ytrium, aluminum, garnet) que tem como característica um comprimento de onda de luz de 1064nm. A principal vantagem quando comparamos o led azul ou luz pulsada com o laser 1064nm é a capacidade de penetração e afinidade por hemoglobina, aquecendo e desinflamando as lesões inflamadas de acne, estimulando a cicatrização com menos reação inflamatória, matando as bactérias que contribuem para a inflamação.

Desta forma, hoje é possível fazer um tratamento de acne inflamatório com a utilização do laser Nd-YAG 1064nm, prevenindo as temidas cicatrizes que aparecem ao final do processo resolutivo da espinha ou nódulo, sem os inconvenientes ou contra-indicações característicos dos medicamentos usados oralmente.

Nodulo inflamatório formador de cicatriz