Posts

A acne é uma condição que afeta 85 em cada 100 adolescentes e hoje me pergunto se podemos chamar de doença ou se é uma condição fisiológica que pode ser mais intensa em alguns casos. A dermatologia classifica a intensidade da acne em 4 niveis, e felizmente a maioria dos casos se enquadram nos dois primeiros, onde predominam os cravos e as espinhas. O terceiro estágio inclui nódulos vermelhos inflamatórios que são muito intensos no quarto grau de acne. Estes casos mais graves acometem principalmente os rapazes e necessitam de medidas enérgicas com tratamentos bem específicos do dermatologista. Foi pensando nestes casos mais intensos e depois, nas cicatrizes deixadas pelas lesões inflamatórias (espinhas ou nódulos) que foram desenvolvidas novas drogas e se estabeleceu um algoritmo de tratamento que vai desde o uso de medicações locais até o uso de medicamentos sistêmicos, que podem até reduzir o tamanho das glândulas sebáceas, e a inflamação.

Paralelamente ao desenvolvimento da indústria farmacêutica na área, em países onde a restrição ao uso de alguns medicamentos (como no Japão), fomentou o desenvolvimento da aplicação das luzes no tratamento da acne. Este tratamento com led e/ou laser é chamado atualmente de fotobiomodulação e baseia no efeito terapêutico destas ondas luminosas na pele e glândulas sebáceas. De acordo com o tipo de luz e da associação destas, pode-se controlar a bactéria considerada vilã da acne, chamada de P. acnes com o emprego de led azul (410 ou 420nm), terapia fotodinâmica (quando há associação de medicamento local com o emprego da luz adequadada correspondente) e a fotobiomodulação com laser – neste ultimo caso o laser empregado é o chamado Nd-YAG ( acrônimo para neodímio, ytrium, aluminum, garnet) que tem como característica um comprimento de onda de luz de 1064nm. A principal vantagem quando comparamos o led azul ou luz pulsada com o laser 1064nm é a capacidade de penetração e afinidade por hemoglobina, aquecendo e desinflamando as lesões inflamadas de acne, estimulando a cicatrização com menos reação inflamatória, matando as bactérias que contribuem para a inflamação.

Desta forma, hoje é possível fazer um tratamento de acne inflamatório com a utilização do laser Nd-YAG 1064nm, prevenindo as temidas cicatrizes que aparecem ao final do processo resolutivo da espinha ou nódulo, sem os inconvenientes ou contra-indicações característicos dos medicamentos usados oralmente.

tratamento de acnes - Dra. Claudia Sa

Nodulo inflamatório formador de cicatriz

 
O laser CO2 é o padrão ouro para o tratamento das rugas, sobretudo aquelas provenientes do dano solar. Atualmente com os equipamentos mais modernos e o fracionamento é possível tratar toda a face com resultados interessantes e menor tempo de recuperação.

O padrão ouro para o tratamento da pele fotoenvelhecida,com rugas faciais induzidas pelo sol, lesões pré-cancerosas, certos canceres de pele, discromias e cicatrizes superficiais é o laser de CO2. O efeito térmico do laser de CO2 é capaz de atuar na derme, estimulando a neocolagenese e melhorando a flacidez facial.
Os equipamentos antigos atuavam de forma eficaz mas promoviam um edema (inchaço) prolongado, eritema, despigmentação e cicatrizes. A re-epitalização durava até 14 dias e o eritema pós-procedimento durava varios meses.
Atualmente, com o surgimento dos lasers de CO2 fracionados, o tratamento tornou-se menos invasivo e a recuperação mais rápida, embora para se atingir os resultados desejados necessitemos de mais sessões com um intervalo medio de 30 dias.
Persistem ainda os riscos de infecção herpética nos portadores de herpes, por isto, nestes casos indica-se o medicamento anti-herpético um dia antes do procedimento até completar de 5 a 7 dias.
O resultado do tratamento com o laser CO2 fracionado depende do grau de fotoenvelhecimento e da hidratação da pele. As avaliações são individuais pois cada um tem uma genética e uma historia de exposição solar. Desta forma, peles mais envelhecidas necessitam de cerca de 4 sessões com intervalos de 1 a 2 meses e peles mais jovens cerca de 2 sessões.
A proteção solar é recomendada em todos os casos, antes do início do tratamento, para garantir um resultado final satisfatório com uma pele uniforme, com menos rugas e pigmentações.
ATENÇÃO! Não recomendo que faça o procedimento antes de viagens para lugares ensolarados ou quando a pessoa tenha um ritmo de vida que exija exposição solar constante ou ainda muito próximo (menos de 30 dias) de eventos importantes (casamentos, aniversários, batizados etc) pois embora o procedimento seja seguro quando seguimos o passo-a-passo do pós-procedimento, infelizmente a medicina não é uma ciência exata. Alguns imprevistos podem ocorrer – infecções, avermelhamento por um prazo maior, erupção acneiforme (pequenas espinhas devido ao uso do filtro solar).